Rolamentos cerâmicos: Valem o que custam?

0
5416

Depois das super tecnologias em construção de quadros e demais componentes, nossa querida bicicleta continua a depender das bolinhas presas em uma pista circular para que toda a máquina se movimente para frente: os rolamentos.

E há vários deles espalhados por toda a bicicleta: nos cubos, caixas de direção, movimento central, pedais…

Nos últimos anos, houve um aumento no interesse em melhorar os bons e velhos rolamentos, e tudo se baseou na evolução para rolamentos de cerâmica.

Rolamentos de cerâmica: prós e contras

Rolamentos convencionais são fabricados em aço inoxidável, e os cerâmicos são feitos de cerâmica de nitreto de silício (Si2N4). E quais são as diferenças? As esferas cerâmicas são mais uniformes que as de aço, possuem suas superfícies mais lisas. O tamanho entre todas as esferas que compõem um rolamento é mais uniforme, além que o menor atrito resulta em menor energia necessária para movimentar um rolamento de cerâmica.

Um rolamento de cerâmica também é mais duro que um de aço (até 30%), o que melhora a durabilidade. As esferas de cerâmica também não enferrujam, então a manutenção do rolamento é muito menor.

Quando falamos rolamentos em cerâmica, na maioria das vezes, não é um rolamento 100% cerâmico. As esferas cerâmicas então rolando dentro do corpo do rolamento fabricado em aço. Estes são conhecidos como rolamentos híbridos.

Os rolamentos que são realmente 100% em cerâmica possuem as esferas e as pistas em cerâmica. São conhecidos como rolamentos cerâmicos plenos, são mais leves e oferecem menor atrito em seu funcionamento. Mas, são bem mais caros que os rolamentos híbridos.

No pelotão profissional, onde os atletas são obcecados por 0,1 segundo ou 0,5 Watts a menos, os rolamentos cerâmicos se tornaram bastante populares nos últimos dois anos. E quando um profissional que utiliza rolamentos de cerâmica começam a chegar na frente, os amadores já querem a ganhar vantagem sobre os amigos de pedal desejando esta tecnologia também em suas bicicletas.

O que um especialista tem a dizer?

CeramicSpeed é uma empresa dinamarquesa, fundada em 2007, especializada no fornecimento de rolamentos de cerâmica de alta qualidade para a indústria do ciclismo. E também a favorita de muitas equipes profissionais.

A vantagem, segundo a empresa, é uma economia de até 9 watts com rolamentos CeramicSpeed nos cubos. Mas calma, este dados são sempre baseados em testes de laboratórios e aplicados a ciclistas profissionais.

Martin Banke, diretor da CeramicSpeed, explica: “A durabilidade de um rolamento de cerâmica de alta qualidade e bem construído chega a ser 10 vezes maior do que um rolamento convencional. Pelas regras, um rolamento de cerâmica deve sempre superar um rolamento de aço.”

Banke continua: “A segunda vantagem dos rolamentos de cerâmica é a redução de arrasto sob carga. Ciclistas profissionais buscam o maior desempenho possível, e essa redução de arrasto só é conseguido com a utilização de rolamentos de cerâmica.”

Os rolamentos de cerâmica precisam de menos energia para girar, são mais leves e possuem maior durabilidade. Então por quê todos não usam rolamentos de cerâmica???

Primeiro, lembre-se que nem todos os rolamentos de cerâmica são iguais. O que mais tem por aí são rolamentos de cerâmica de baixa qualidade. E baixa qualidade significa que o material utilizado na sua fabricação é “pobre”. O componente não terá a mesma perfomance nem durabilidade se comparado a um rolamento de cerâmica de alta qualidade.

Mas os cerâmicos são tão “soltinhos”!

Qualquer rolamento, seja ele cerâmico ou de aço, pode girar suavemente em suas mãos, mas isso não é o suficiente. Todo e qualquer rolamento foi desenvolvido para trabalhar com carga, e não nas mãos. E é sob carga que sabremos qual é a perfomance e a durabilidade de um rolamento.

Já que rolamentos de cerâmica são só benefícios, então todos os fabricantes deveriam utilizá-los, certo? Não é bem assim. Os fabricantes dizem que o elevado custo não compensa o pequeno aumento de perfomance, que em alguns casos chega a ser insignificante.

Alan Weatherill, da empresa britânica Hope, diz: “Rolamentos de cerâmica trabalham com menos atrito, o que é uma vantagem significativa em aplicações ou motores industriais que trabalham a 20.000 rpm. Nestas condições, menos atrito é uma vantagem. Mas quando se gira a 300 rpm (ciclistas), a vantagem de se usar um rolamento cerâmico desaparece.”

Paul Lew, da Reynolds

O diretor de tecnologia da Reynalds, Paul Lew (acima), confirma a informação de Alan Weatherill e diz que rolamentos de cerâmica não são uma boa escolha para rodas. Paul diz que a única vantagem é a economia de peso, e que rolamentos de cerâmica só oferece outros benefícios em situações de alta rotação.

Cada rolamentos é desenvolvido para determinadas rotações

A cada quilómetro que pedalamos nossas bicicletas, executamos entre 500 e 600 rotações. Para ter a vantagem de menos atrito oferecido pelos rolamentos de cerâmica, teríamos que girar cerca de 10.000 rotações, no mínimo!

Outro ponto importante é a manutençao. Paul Lew diz que uma bicicleta é colocada em vários ambientes diferentes em um mesmo dia. Areia, água, poeira e terra são elementos que sempre estarão em contato com as bicicletas, e isso faz com que ela necessite de manutenções constantes. Já os rolamentos de cerâmica só são benéficos em ambientes que não requerem graxa.

A resistência à rolagem de um rolamento de cerâmica em comparação à um de aço é compensada na resistência da graxa. E se você tem um rolamento de cerâmica, graxa não seria uma opção. E usá-los em um ambiente onde podem ser contaminados não será uma boa idéia.

As esferas cerâmicas são bem mais duras que as de aço, e isso chega a ser uma desvantagem quando são aplicadas nas bicicletas. Em uma aplicação industrial, como por exemplo, motores elétricos estacionários, os rolamentos de cerâmica funcionam perfeitamente, pois não há pancadas, é alta rotação e elas não se deformam com o calor gerado ao redor delas.

Já nas bicicletas, o tempo todo as esferas estão recebendo pancadas e muita vibração. Nestas condições, as esferas sofrem micro fissuras, e o rolamento trabalhará de forma áspera. Mecanicamente falando, lá sem vão todos os benefícios que ele tinha.

E para finalizar, os custos!

Para ser ter uma idéia, um movimento central com rolamentos de cerêmica da CeramicSpeed custa em torno de U$359,00. Muito caro? Para se comparar, um Shimano Dura-Ace 9000 custa em torno de U$32,00.

Em outras palavras, é um custo muito elevado para os fabricantes agregarem em seus produtos. E mesmo assim, pode ser que os benefícios não seja compensatório. Entao, simplesmente se paga um alto preço por algo quase injustificável.

Gostou do Artigo? Então curta e compartilhe para seus amigos lerem também!

por Fabio Santos
via :: road.cc