China Cycle 2019 // Testando o kit S-Ride 13v 11-52

0
262

Visitando a China Cycle 2019, no começo de maio, visitei o stand da chinesa S-Ride para dar uma olhada nas tranqueiras novidades deles.

Um simulador montado com o grupo M700 de 13v estava exposta e podia ser manipulada para que os visitantes conhecesse o funcionamento do grupo 13v M700.

Perdão pelo video super amador, eu tinha que trocar as marchas e filmar ao mesmo tempo.

O grupo já tinha sido mostrado alguns meses antes, na feira de Taiwan. Publiquei a tradução de um review, veja:

S-Ride M700 // Grupo chinês 13v 11-52T de baixo custo (será?)

SPOILER: A empresa tinha declaro que custaria U$780,00 o kit básico. Ou seja, U$10,00 mais caro que um XTR M9100 12v!

// Tem para todo mundo!

Para quem ainda não sabe, ou ainda não percebeu, a S-Ride fabrica e fornece seus produtos sob qualquer outra marca que pedirem. No Brasil, os produtos chegam como X-Time. Outra chinesa, a LTWoo, também faz isso. É várias marcas com o mesmo câmbio por aí. Mas, seguindo em frente…

// S-Ride na China Cycle Show 2019

Foi só parar na frente do stand e já fui recepcioado por uma atendende. Muito gentil e educada, começou a me explicar que a S-Ride é uma empresa que foca na extrema qualidade (pensei: ahhh tá), e que está sempre à frente de seus concorrentes.

Me apresentei e falei que era do Brasil. Um amigo que estava comigo disse que alguns brasileiros que também estavam na feira me olharam com cara feia. Cara feia pra mim é fome. Deviam ser de umas das várias importadoras do Brasil e ficaram preocupados que outra empresa também importasse o S-Ride. Se depender de mim, podem dormir tranquilos e boa sorte com a trozóba.

Fui fuçando e verificando todos os detalhes…

// O câmbio 13v

Feio, muito feio. Foi meu primeiro pensamento. O segundo foi: Feio, mas é feio pra caramba! Percebe-se que deve ser construído de forma mais econômica possível, talvez die-casting. Partes forjadas não devem ter ali. É possível até ver a porosidade do alumínio.

Sabe quando você pega um brinquedo de criança, bem baratinho, e a pintura cromada já entrega que a bagaça não durará muito tempo? Então…

Olhando por trás, o câmbio S-Ride M700 13v lembra muito os câmbios da SRAM. Mas repare na qualidade dos rebites. É simplesmente ME-DO-NHO!

As polias são em alumínio com rolamentos. Quando me perguntam se é melhor de plástico/resina ou alumínio, respondo com outra pergunta: O câmbio mais “top” da Shimano possui polias em alumínio ou plástico? E da SRAM? Então.

Peso do câmbio S-Ride M700 13v: 287g.

// O sistema de estabilização da corrente

Dei uns tapas na corrente quando o câmbio estava no maior cog, no meio do cassete e no cog 11. Não me passou muita confiança também.

A atendente disse que usam um rolamento. Deve ser cópia do sistema SRAM também. É um sistema simples, basicamente um rolamento anti-reverso.

A falta de precisão nas trocas é facilmente percebida tanto no câmbio quanto no trocador. Precisam melhorar muuuuuito ainda.

// O trocador S-Ride 13v

Simples, mas até que tem uma boa ergonomia. O acabamento é pobre, e este brilho na pintura dá a impressão que em pouco tempo poderá descascar ou até mesmo o plástico quebrar.

O curso de acionamento (para subir marchas) não é longo, é rápido ativar o câmbio. E para descer as marchas, pode-se empurrar a segunda alavanca com o polegar, ou puxá-la com o dedo indicador. É igual ao Two-Way Release da Shimano.

No geral, manipular e forçar a alavanca não passa muita confiabilidade. O peso do trocador é de 124g.

// Cassete S-Ride 13v 11-52

Acho que o único componente que apresenta uma construção mais sólida, é o cassete.

Ele possui um uma escala 11-52, sendo: 11-13-15-17-19-21-24-28-32-40-46-52.

Os 4 maiores cogs são usinados a partir de um único bloco de alumínio. Depois, os próximos 3 cogs são em aço e rebitados em um spider em alumínio. Por fim, os outros cogs são soltos.

Peso do cassete S-Ride M700 13v 11-52: 408g.

Bom, é mais uma opção. 😉