Corrente Shimano e seu pino original de fechamento

As correntes da Shimano, diferente das correntes de seus concorrentes, como a SRAM e KMC, utilizam um pino especial para fechá-las sempre que forem abertas.

Os pinos originais

Chamamos de pinos originais, os pinos que já estão na corrente, e pino de fechamento, o pino adicional que utilizamos para ligar as extremidades da corrente.

Independente da razão, quando um pino original é retirado, quebramos os minúsculos anéis que existem em cada lado do mesmo. Esses anéis fazem o papel de trava, para que os pinos não saiam da posição correta.

Ao remover um pino original, o “click” que ouvimos quando o forçamos com a ferramenta de corrente, é o “click” dos anéis-travas se rompendo.

Normalmente, depois de abrir a corrente, podemos ver como são essas pequenas travinhas. Então se soltam do pino da corrente e ficam presa no eixo da ferramenta de abrir/fechar corrente.

corrente-shimano_O que sobra de uma abertura e depois um fechamento de uma corrente Shimano

Cada modelo de corrente possui seu próprio pino de fechamento original. Seja a corrente para 6, 7, 8, 9, 10 ou 11 velocidades, cada uma utiliza um pino de fechamento específico para ela.

Na verdade, as correntes de 6, 7 e 8 velocidades utilizam o mesmo modelo de pino de fechamento, pois a corrente tem a mesma largura. O que muda então? Muda o cassete que é diferente, tendo 6, 7 ou 8 velocidades.

O espaçamento entre cada pinhão (ou cog) do cassete, será menor para poder caber mais um pinhão. Por exemplo: o espaçamento entre os pinhões de um cassete de 7v é menor do que um de 6v, pois foi preciso diminuir os espaçamentos entre os pinhões para entrar mais um, que é outra marcha.

Abaixo, você pode visualizar as diferenças entre os pinos de fechamento Shimano, de acordo com as velocidades do sistema.

pinos-de-fechamento-shimano-8-9-10-11vRepare que quanto mais velocidades, mais fino é o pino de fechamento Shimano

Mas, por que a Shimano não utiliza engates do tipo “link” em suas correntes?

A Shimano acredita não ser confiável, e que seu sistema de pinos de fechamento é o ideal a ser usado, acredita ser mais seguro.

Na verdade existe um link sim, nas correntes compatíveis com sistemas de 6, 7 e 8 velocidades. Mas, como se trata de grupos de componentes destinados a pesseios e lazer, a Shimano oferece essa facilidade somente nessas linhas básicas.

Um detalhe interessante que percebi nesses anos como mecânico de bicicletas, é que a maioria das correntes de 6, 7 e 8v (HG40 e HG50) que já instalei, não possuem o link, e sim pino de fechamento. Mas, algumas vezes vieram com link de fechamento.

Não tenho certeza, mas quando as correntes são fornecidas em caixinhas, vêm com pino de fechamento, e quando fornecidas apenas em uma embalagem plástica, vêm com link. Não tenho mais informações dessa variação de embalagem.

Talvez, uma opção de compra, por exemplo: se a Shimano fornecer o componentes para uma montadora de bicicletas, não há motivos para fornecer na caixinha de papelão, somente no plástico.

link-de-fechamento-shimano-6-7-8vLinks removíveis podem abrir sozinhos?

É verdade que os links de fechamento, como os PowerLinks da SRAM e os Missing Links da KMC podem abrir. Já tive essa experiência, assim como alguns amigos.

Mas deve-se levar em consideração o número de vezes que o link foi aberto. A SRAM, por exemplo, diz ser indefinido o número de vezes que pode-se abrir e fechar o Power Link.

Respondendo meu questionamento, um funcionário da empresa que importa oficialmente a marca SRAM para o Brasil, disse que a vida útil de um PowerLink é a mesma da corrente, e tudo deve ser levado em consideração. Por exemplo, se a corrente recebe manuntenção/limpeza constante e se sempre são utilizados ferramentas apropriadas para abrir e fechar os PowerLink. Outra questão é a forma do ciclista pedalar.

Eu, particularmente, já misturei de tudo em minhas bikes. Corrente Shimano com Power Link da SRAM, corrente SRAM com Missing Link da KMC, KMC com Power Link da SRAM, Correntes YBN com links SRAM e KMC, e até corrente Shimano com um link da marca Taya.

Logicamente, respeitei o modelo do link que correspondesse ao número de velocidade que a corrente foi projetada. Se você usar uma corrente de 10v com link de 9v, com certeza algo não funcionará bem.

sram-powerlink-8-9-10-11vE por que devemos utilizar os pinos de fechamento originais Shimano?

Os pinos de fechamento originais Shimano possuem ressaltos que farão o papel de novas travas assim que forem corretamente instalados na corrente. Além disso, são alguns milésimos de milímetros mais largos que o pino original que foi retirado da corrente.

Assim, ele ficará fixo e firme no lugar, sem o risco de soltar, impossibilitando que a corrente se abra novamente.

Outro detalhe importante é que não devemos instalar um pino de fechamento próximo à um que já foi instalado anteriormente. Deve-se manter um espaço de 6 pinos originais para cada pino de fechamento.

Então, quando for abrir a corrente por algum motivo, verifique se o pino original que você escolher para abrir a corrente, não estão próximo à um pino de fechamento já instalado. Você precisará escolher um pino original espaçado por outros 6 pinos originais.

Se não houver um pino de fechamento com 6 outros pinos de distância para a direita e esquerda, então você pode abrir a corrente neste ponto.

As ilustrações abaixo mostram essa regra:

pinos-fechamento-shimano-nao-pode-instalarNo exemplo da Figura 1, não é aconselhado a instalação do novo pino de fechamento,
pois eixstem outos muito próximos, a menos de 6 pinos de distância.

pinos-fechamento-shimano-pode-instalarNo exemplo da Figura 2, não há problema algum em instalar o pino de fechamento nesta posição, pois os outros estão a 6 pinos além, tanto para direita, como para esquerda.

Corrente de bike Road, é para bike Road… E de Mountain Bike é para Mountain Bike!

Em algumas correntes, as tecnologias que a Shimano desenvolve para suas correntes, são exclusivas para o tipo de uso, seja bikes Road (speed) ou Mountain Bike.

Você pode até instalar uma corrente Dura-Ace em uma grupo XTR, por exemplo. Mas vai funcionar? Se você se contenta com trocas de marchas sem qualidade, vai funcionar para você.

Mas se você realmente conhece bicicleta, e sabe como é agradável utilizar um equipamento funcionando perfeitamente, tenho certeza que nunca fará essa besteira.

Os plates (ou placas) das correntes denominadas unidirecionais, possuem desenhos destintos e foram desenhados para máxima perfomance nas trocas de marchas. Há pequenas diferenças entre o desenho dos dentes dos pinhões de um cassete de estrada em comparação para os cassetes de Mountain Bike.

A relação também é diferente, pois enquanto nos cassetes de bikes de estrada, temos 1 ou 2 dentes de diferença entre os pinhões, nos cassetes de MTB chegamos a ter até 4 dentes de diferença. Isso pede um desenho mais agressivo para as correntes de MTB.

mokeup-correntes-shimanoMokeUp em escala das correntes unidirecionais da Shimano

A Simano possui um MokeUp muito legal em tamanho gigante para podermos entender melhor essas tecnologias. Infelizmente eu não consegui ter esses MokeUps, tentei comprar, mas a empresa informou que não há disponível para venda. São usadas exclusivamente em seminários técnicos.

Mas na imagem acima você pode notar que os desenhos/cortes em cada tipo de corrente são diferentes dependendo do modelo da corrente. Os cortes em azul da corrente Dura-Ace são diferentes dos cortes em vermelho, da corrente XTR. Isso quer dizer que cada uma trabalha de forma diferente, mas funcionam perfeitamente quando estão juntas com os cassetes de seus respectivos grupos.

As correntes também possuem lado certo para serem instaladas. Se instaladas invertidas, simplesmente não funciona.

Na oficina da Cadence Bikes acredito que já vi de tudo, ou não. Felizmente foi possível salvar as correntes dos clientes na maioria das vezes em que fizeram a instalação de forma errada.

Houve um caso em que um cliente me chamou no celular às 20h30 de um sábado, perguntando seu eu poderia dar uma ajustada nos câmbios da bike de estrada dele.

Contou que tinha retirado a bike da primeira revisão de garantia da bicicleta.
Como eu estava tranquilo e não fazendo nada de importante, logicamente não tinha razão apra não ajudar o amigo. Disse para trazer a bike que eu poderia olhar.

Em alguns minutos ele chegou, peguei a bike e coloquei no rack de manutenção. Girei o pedivela e e verifiquei as trocas de marchas. Realmente estava tudo muito estrado, nada estava sincronizando.

Depois de algumas tentativas de ajuste nos câmbios, percebi que nada adiantava, então comecei uma “olhada geral” em tudo. Foi então que percebi que a corrente, que era uma Shimano unidirecional de 10v, estava instalada invertida.

A tecnologia HG-X

As correntes Shimano MTB HG-X 10v e as HG Road 10v são modelos unidirecionais. Isso significa que possuem um lado correto para serem instaladas.

Isso é exigido porque os plates (ou placas) da corrente, possuem desenhos e rebaixos diferentes entre os que ficam virado para o lado externo da bicicleta e os que ficam virado para dentro.

É simples identificar o lado correto: o lado liso, sem descrições, fica virado para os raios.

correntes-direcionais-shimano-10v
Detalhes da corrente unidirecional Shimano: lado liso deve estar virado para os raios da roda

Então, expliquei à ele que deveríamos retirar a corrente e virá-la para o lado certo. Só assim a corrente trabalharia corretamente, subindo e descendo nos pinhões do cassete com precisão.

Como a corrente estava um pouco comprida (outro erro da montagem?), eu aproveitei e cortei alguns elos da corrente.

Foi então que eu encontrei outro erro de montagem (um terceiro erro?). Na hora que fecharam a corrente, utilizaram um pino de fechamento que não era o apropriado para ela. Usaram um pino de corrente de 6-7-8v em uma corrente unidirecional de 10v! 🙁

Depois dessa, coloque-se no lugar do meu amigo-cliente para tentar sentir a raiva que ele sentiu.

Por fim, ele decidiu instalar um PowerLink da SRAM em vez de um pino de corrente. Um link também acaba facilitando na hora da limpeza.

Tive que eliminar mais links do que o previsto para retirar o “rombo” que fizeram na corrente dele. Tudo culpa por terem usado um pino de fechamento errado. E no fim, tudo estava resolvido com um PowerLink. A corrente foi virada para o lado certo, comprimento ajustado, e as trocas de marchas funcionaram como mágica!

E para finalizar, um pino de fechamento universal. Será mesmo?

A marca de correntes YBN possui um pino de corrente que, teoricamente, serve em qualquer tipo de corrente.

Interessante é o pino-guia, que não precisa ser quebrado, e sim, é removido como um parafuso.

ybnUniversal Pin da marca YBN

Eu não tenho mais informações sobre esse produto, mas acredito que seja um pino de corrente para qualquer correntes. Mas, por não ser específica, acredito que não funcione corretamente em nenhuma delas.

Você teria coragem de colocar em sua bike, e depois partir para um sprint final de uma prova?

Gostou da publicação? Então compartilhe para seus amigos lerem também! 😉

Fabio S.

Fabio Santos
Graduado em Comunicação Social & Marketing, mecânico de bicicletas, curioso, perfeccionista e muito chato. Desenvolvedor de produtos para o mercado de bicicletas, amante das bicicletas e toda a mecânica e tecnologia que envolve essas maravilhosas máquinas. Fundador da Revista BikeUP e do Gravel.one.